Aristóteles

          Pense em um triângulo redondo. Impossível. Um triângulo não pode ser redondo sem deixar de ser ele mesmo. Este é um exemplo dos princípios de Aristóteles, o não-contraditório: o que não se pode pensar, não pode existir.  Não é possível afirmar que “um triângulo é uma figura de três retas” e depois que “um triângulo não é uma figura de três retas”. Ou é ou não é.

Aristóteles foi o fundador da Lógica, que ele definia como uma ferramenta para pensar corretamente.  Partindo de duas proposições verdadeiras, chamadas premissas, para chegar a uma conclusão. Um exemplo deste tipo de raciocínio, chamado silogismo é:

Todos os homens são mortais.

Sócrates é  um homem.

Portanto, Sócrates é mortal.

 

          O pensador também estudou a essência das coisas. Podemos chamar de cadeira um objeto que tem três pés? Sim. Mas se não for possível sentar nele, continua sendo uma cadeira? Não.

 

          Para Aristóteles, a virtude - aquilo que se faz bem, para si mesmo e para todos - é o caminho para uma vida boa. Alguns exemplos de virtude são coragem, persistência, paciência e determinação. 

 

          O filósofo defendia que as virtudes se formam através da prática e estão “no meio”, entre o excesso e a deficiência. Ser corajoso, por exemplo, é não ter medos sem motivos reais e também não se arriscar de qualquer forma em uma situação de perigo.